Ileides Muller

Dormi semente, acordei flor. É dia de poesia!

Textos


BREVIDADE

Na linha do dia,
uma borboleta se equilibrava.
Em alto e bom som
pronunciava seu voo
[o mais amarelo de todos]
e prenunciava destino.

Naquele dia
ela seria um sol voante
     um beijo
uma alegria molezinha
ou um mistério.

Seria...
porque num átimo
no chão se desfez.
Passou ao passado
e a história mudou:

Era uma vez...


(Do livro Catador de invisível)
Ileides Muller
Enviado por Ileides Muller em 01/05/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Citar a autoria: Ileides Muller.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras