Ileides Muller

Dormi semente, acordei flor. É dia de poesia!

Textos


ERA DIGITAL

Quando ouvi um sino tocando
procurei no campanário
o bronze suspenso
ligado por cordas
a mãos humanas.
- É eletrônico – disse-me um rapaz.
Fiquei atônita.

Quando entrei no templo
para acender uma vela,
- É eletrônica – dizia um cartaz.
Não havia fumaça no ar
nem cheiro de vela queimada.
Fiquei decepcionada.

Quando pisei num gramado escuro
ouvi um grilo cricrilando
sem desafinar.
Parei para escutar.
E um pensamento irônico:
- Será um grilo eletrônico


- Do livro: Catador de Invisível - 
Ileides Muller
Enviado por Ileides Muller em 14/07/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Citar a autoria: Ileides Muller.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras