Ileides Muller

Dormi semente, acordei flor. É dia de poesia!

Textos


Crise dos cinquenta                
 
Ao completar os cinquenta,
pouca gente comemora
e há quem nem se dá conta,
esconde a idade, ignora. 
Mas que susto a gente leva
quando um jovem se levanta
e diz:
- Sente-se aqui, ó senhora!
 
Essa idade é epidemia
que pega sem distinção.
Só se percebe seu dano
quando enfraquece a visão.
E com problema de vista
vai-se a um oftalmologista
para buscar solução.
 
O doutor logo pergunta:
- Qual sua idade, senhora?
E a gente, meio sem graça,
finge que esquece... demooora.
Mas, vendo que não tem jeito,
diz o número suspeito
numa resposta insonora.
- Cinquenta!

 
E ele manda a gente ler
letrinhas desse tamanho,
que só se consegue ver
se for o braço esticando,
e diz:
 - A presbiopia é lenta,
 começa lá nos quarenta
e aos poucos vai aumentando.
 
O remédio que ele indica
a gente até manda fazer,
mas se recusa a usar.
Óculos? Só para ler,    
que é pra ninguém desconfiar
da idade que a gente tem.
Levar na bolsa convém
se acaso se precisar.
 
Quem é jovem, não se engane:
esta idade vai chegar,
pois ela acomete a todos
e fugir dela não dá.
E com óculos ou não
esta é a idade da razão.
Feliz de quem nela está!

Do livro: ENTRELINHAS

 
Ileides Muller
Enviado por Ileides Muller em 30/10/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Citar a autoria: Ileides Muller.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras